Por que o corretor de seguros não faz parte do Open Insurance?
Nelson Fontana, corretor de seguros e advogado

Não há razão para o E-Commerce não avançar mais sobre o setor de SEGUROS, especialmente no seguro automóvel que tem todas características dos produtos bons de se vender via internet (commodity com alta demanda).

Nos sites das seguradoras já aparece a frase “contrate aqui e agora um seguro para o seu automóvel”, mas este tipo de operação não tem grande futuro. O E-Commerce não funciona bem nos sites dos fornecedores ou produtores. Quem entra no site de uma Cia Aérea para comprar uma passagem aérea? Poucos. A grande maioria compra em sites que funcionam como MERCADOS como o DECOLAR.COM.

Na verdade, a contratação de seguros através da internet só será expressiva com sites interativos com multicálculos, pelos quais o consumidor quota, compara, decide, contrata, efetiva, paga e recebe sua apólice. Para isto já temos tecnologia pronta e em operação. O problema, no entanto, é que tudo está feito atualmente para o segurado DESISTIR no meio da operação. Uma compra sem gente orientando não pode ter “gargalos”.

Quem trabalhou com venda de seguros de vida por “mala direta” sabe que a carta e a proposta têm que ser desenhadas pensando num leigo lendo e preenchendo o cartão proposta sozinho para devolvê-lo pelo correio. A quantidade de adesões ao plano proposto cai assustadoramente com pequenos gargalos como, por exemplo, uma declaração pessoal de saúde com perguntas subjetivas. O simples fato de se pedir o CPF do cônjuge numa mala direta já estraga todo resultado porque quebra o impulso de compra. 

Os gargalos do seguro de automóvel são perfil e vistoria. Quando aperfeiçoarem estes gargalos, começaremos a ver sites onde será fácil contratar o seguro de automóvel.

Quem vai controlar estes sites? Gostaríamos que fossem os corretores de seguros mas não apostaria minhas fichas neles.

Pensemos juntos: O que é necessário para se criar canais tecnológicos onde se possa contratar um seguro automóvel sem qualquer contato humano, chegando ao pagamento do prêmio e emissão da apólice, após receber um quadro comparativo de custos e coberturas?

Resposta: Muito domínio de tecnologia, acesso às tarifas de várias seguradoras conhecidas pelo público, bancos de dados e muito capital.

Quem tem isto? As empresas que hoje fornecem serviços de tecnologia e multicálculo para corretores, em especial as que pertencem a seguradoras.

Acredito sinceramente que um bom site pode intermediar a contratação de muitos milhões de seguros de automóveis no Brasil. Muitos MILHÕES de carros segurados com apólices emitidas por várias seguradoras com a intermediação deste site, sem corretor de seguros.

Um site de sucesso controlado por uma seguradora através de empresas de tecnologia pode ser um negócio maior que a própria seguradora. Um rabo muito maior que o cachorro. O rabo vai abanar o cachorro. A intermediação eletrônica de seguros de automóvel por meio de sites controlados por empresas de tecnologia que já dominem multicálculos está pronta e operacional e vai ser um negócio muito maior e mais rentável que o próprio seguro de automóvel para as seguradoras que liderarem este segmento da intermediação.

Escrito por Nelson Fontana, corretor de seguros e advogado, em 05/2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui